Fazer a gestão de relacionamento dos condôminos deve ser uma das tarefas mais difíceis de um síndico. Em qualquer condomínio existem diferentes pessoas, com diferentes personalidades e que acabarão tendo divergências. E sempre vai sobrar para o síndico resolver estes problemas.

Não adianta fugir e nem se esconder, como qualquer outro trabalho, esse também tem as suas dificuldades. Basta saber como lidar com elas e se sair da melhor maneira possível.

Mas a primeira dica é a seguinte: sempre exale paciência. Trabalhar como mediador de conflitos faz parte do serviço e as pessoas esperam isso de qualquer um que esteja no cargo. Portanto, é preciso estar sempre atento aos problemas e pronto para resolvê-los.

Agora, se você não consegue exercer a sua função e está procurando ajuda para isso, você veio ao lugar certo. Escolhemos o tema para o blogpost da semana porque sabemos que não são poucos os administradores de condomínios que sofrem com a gestão de relacionamento.

Então, se você é síndico e tem a mesma dificuldade, fique atento. Preparamos cinco dicas para você usar no seu dia a dia que te ajudarão na hora de resolver os conflitos.

1ª Dica: Tome a liderança e pressione os inadimplentes

Desde 2003 quando entrou em vigor o novo Código Civil, todos os síndicos perderam uma de suas mais importantes armas no combate a inadimplência, o teto das multas de quem não paga o condomínio.

Até aquela época os números eram de até 20% os valores do condomínio, algo que pressionava, e muito, os moradores. No entanto, com a mudança, os valores diminuíram drasticamente e hoje essa taxa é de apenas 2%. Isso fez com que as pessoas criassem uma falta de preocupação na hora de pagar o condomínio. Por isso, a classe de inadimplentes condominiais cresceu muito.

Isso começou a gerar muitos conflitos entre condôminos que pagam as contas e os que não. E no final sobrou para quem resolver? Exatamente, o síndico. No entanto, muitos não sabem quais atitudes tomar referente a essa situação.

Se a gente pode te dizer uma coisa é: bata no peito e tome as rédeas da situação. Mesmo com as mudanças, a administração ainda pode protestar as contas em cartório e incluir o nome dos inadimplentes em listas sujas dos serviços de análise ao crédito (SPC e Serasa).

Não deixe que a situação chegue aos outros condôminos, pode ter certeza que isso irá gerar muitos problemas. Então, aborde o morador que não tem quitado as despesas e converse com ele sobre o assunto. Tente entender o lado dele e faça ele entender o seu.

E para ter todo o controle das finanças e ainda fazer a abordagem nos inadimplentes, é preciso ter um sistema de gestão que te ajude. Clique aqui e veja em tudo que ele pode ser útil.

2ª Dica: Para evitar problemas por causa das crianças, busque a criatividade

Mas antes mesmo de ser criativo, crie áreas comuns de lazer. Muitas vezes as crianças atrapalham por não ter onde brincar. Gritarias, escândalos e problemas que podem muito bem ser evitados com segurança.

Criar uma área de lazer dentro do condomínio é uma das melhores saídas. Além de proporcionar algo para as crianças fazerem, deixa os pais muito mais seguros por seus filhos estarem próximos.

Agora, se isso não resolver e os pequenos continuarem sendo uma questão nas reuniões, é preciso recorrer a criatividade. Encontre salas que estão sem uso e equipe elas com jogos e até um home theater para exibir filmes.

Além disso, algo que é muito feito em hotéis e que pode ser usado nessas situações é criar um cronograma de atividades. Separar brincadeiras diferentes para as crianças e fazer com que elas gastem seu tempo com isso.

3ª Dica: Não crie amizades com os condôminos

Evidentemente que não criar amizades no condomínio é muito mais complicado. Estar no dia a dia das pessoas dificulta um distanciamento, mas criar essa proximidade é muito ruim para o seu discernimento na hora de lidar com os problemas. Isso faz com que você se torne parcial.

A imparcialidade é fundamental para que as situações sejam resolvidas. A tendência é que você não tenha o mesmo discernimento das situações quando está mais próximo de alguém, além de não ter uma visão geral dos dois lados.

Por isso, é importante que você mantenha distância ao máximo das pessoas. Vá as reuniões, converse fora delas, mas apenas sobre assuntos relacionados ao condomínio. Outros temas não devem ser abordados nem dentro e nem fora do ambiente de trabalho.

No entanto, não faça isso de uma forma grossa ou seca. Isso pode causar um problema pessoal com algum dos moradores. Então, mantenha a educação e o bom humor, mas sempre com um certo cuidado.

4ª Dica: Seja o mais cuidadoso possível com as situações que envolvem animais de estimação

Um dos principais, se não o principal motivos das reclamações são os animais de estimação. Atualmente, a dinâmica nos condomínios é totalmente diferente e muitos já aceitam os animaizinhos. No Rio de Janeiro, a regra que não deixa alguém ter um animal em casa já é proibida.

Portanto, é preciso se adaptar. A dica para lidar com os animais de estimação é estar extremamente preparado para qualquer coisa e ter tudo por escrito, ou seja, uma regra para todas as situações possíveis.

• Os animais têm acesso a garagem?

• Eles só podem entrar e sair pela porta de pedestres?

• O que deve ser feito para evitar deixar os animais sozinhos?

Além dessas, outras inúmeras perguntas devem ser feitas. Por isso, sente e converse com todos os moradores e saiba a partir deles quais são os principais problemas. Além disso, peça para eles opções para resolver as situações.

É preciso manter esse canal aberto com todos os condôminos para que eles se sintam parte da administração, caso contrário não teria nem porque realizar as reuniões de condomínio.

5ª Dica: Assim como com os animais, é preciso dar muita atenção para o barulho

São poucos os problemas que geram tantos conflitos entre pessoas. O barulho é um deles por envolver ações das próprias pessoas. Por isso é preciso tomar o maior cuidado possível na hora de tratar sobre este assunto. Além disso, como com os animais de estimação, é preciso ter todas as regras bem estabelecidas.

Crianças que não param de gritar e correr, discussões em tom mais elevado, o salto da vizinha e o som alto até altas horas na madrugada. Convenhamos, tudo isso é muito chato e incomoda qualquer um.

Mas o que fazer? Estabelecer regras para tudo e todos. Pergunte aos condôminos tudo o que incomoda em relação ao barulho dos vizinhos. Assim, será possível traçar uma estratégia para cada problema.

Depois disso, você precisará separar um tempo e pensar em maneiras de resolver cada incômodo de uma forma que seja agradável para todo mundo. Então será necessário sentar com os moradores e entender o que eles acham das soluções propostas. A partir dessa reunião será possível encontrar um meio termo ideal.

Sempre esteja preparado para todos os problemas

Antes de qualquer coisa, seja inadimplência, cachorros, crianças, discussões ou barulho, você precisa se preparar. A gente sabe que estas não são as únicas dificuldades que você encontra na sua administração.

Por isso, te dizemos para estar preparado para todas as dificuldades e problemas que podem surgir. Nunca se contente com o conhecimento que você tem, ainda mais quando o assunto é gestão de relacionamento entre condôminos.

A gente sabe como as pessoas podem ser complicadas e implicar com o que há de mais simples. E você precisa saber como lidar com todas essas coisinhas, com um sorriso no rosto.

Então, aproveite o nosso conteúdo, aplique ele na sua gestão e continue nos seguindo para ler todas as dicas que estamos preparando para você!

ID - Banner - Blog
0 ComentáriosFechar comentários

Deixe um comentário

Cadastre-se na nossa Newsletter

Seja o primeiro a receber os nossos posts no seu e-mail

Prometemos não enviar spam :)