Mundialmente, o assunto do momento é, com certeza, o novo coronavírus. A doença é conhecida como Covid-19, sigla em inglês para “coronavirus disease 2019”, em tradução, doença por coronavírus.

O vírus se propaga muito rapidamente e, para evitar que mais pessoas contraiam a doença, uma das orientações dos órgãos de saúde é evitar ao máximo sair de casa e não ficar em ambientes fechados com muitas pessoas. Para te auxiliar neste momento, preparamos um conteúdo que explica o que é o Covid-19 e quais medidas você deve tomar para manter seus condôminos protegidos.

O que é coronavírus?

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o coronavírus faz parte de uma grande família de vírus. Eles causam doenças respiratórias que variam de leves a moderadas e, até mesmo, enfermidades mais graves, como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio e a Síndrome Respiratória Aguda Grave. Em casos extremos, pode levar a óbito.

Mais de 180 mil pessoas contraíram o Covid-19 em 145 países e territórios e o número de mortes passou de 7 mil.

Os sintomas se assemelham a uma gripe: febre, tosse e falta de ar.

Como ele é transmitido?

A transmissão costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções, como:

  • Espirro;
  • Tosse;
  • Catarro;
  • Gotículas de saliva;
  • Contato próximo, como toque ou aperto de mão (com pessoa infectada caso suspeito ou confirmado);
  • Contato com objeto ou superfícies contaminadas (seguido de contato com a boca, nariz ou olhos).

Quais as formas de prevenção contra o coronavírus nos condomínios?  

Não diferente de demais locais, as administradoras e o síndicos também precisam tomar precauções para evitar a contaminação dos funcionários e dos condôminos, tanto na empresa, quanto nos condomínios. As dicas são:

  • Evitar aglomerações, principalmente em locais fechados;
  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão, pelo menos por 20 segundos;
  • Usar álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíveis bactérias;
  • Não tocar o rosto: evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e no nariz, pois essas são as principais portas de entradas do vírus no organismo;
  • Evite contato se estiver doente, como apertar as mãos, abraçar, beijar;
  • Cobrir a boca e nariz com o antebraço ao tossir ou espirrar;
  • Usar máscaras se apresentar sintomas de tosse e espirro;
  • Aconselhe aos seus condôminos utilizarem álcool gel sempre que usarem os elevadores.

Home office é necessário?

Sim! A viabilização do trabalho remoto é a primeira medida a ser tomada em sua administradora de condomínios, pois dessa forma, os seus funcionários não precisam se locomover em espaços públicos e não correm o risco de ficar em estabelecimentos fechados.

Para manter os processos alinhados, o ideal é utilizar a tecnologia ao seu favor. Faça videoconferências.

Quais medidas tanto administradoras quanto síndicos devem tomar neste momento?

A sua segurança e a dos condôminos é essencial. Para que todos possam ficar seguros e informados, separamos algumas dicas para você pôr em prática agora mesmo:

  • Disponibilize álcool gel em áreas muito usadas por todos: próximos a elevadores, portarias e em áreas de uso coletivo;
  • Disponibilize cartazes de comunicação e orientação aos moradores, com informações reais. Não cause pânico aos seus condôminos;
  • Dê assistência aos funcionários do condomínio. Se algum deles apresentar sintomas da doença, o ideal é afastá-los e orientá-los a procurar um médico;
  • Suspenda assembleias e reuniões. Se o assunto for muito urgente, o ideal é realizar tudo online. Usando um sistema de gestão como o SIN isso é possível;
  • Feche temporariamente os espaços de uso coletivo, como piscina, sauna, academias, quadras esportivas, salões de festa e outros;
  • Os funcionários da limpeza devem usar equipamentos de proteção individual, como máscaras e luvas;
  • Converse com os condôminos com crianças e peça para que eles evitem aglomerações no playground. O ideal é criar uma agenda e pedir para que cada um siga o horário estipulado;
  • Os banheiros das áreas comuns devem ter: sabão, papéis e álcool gel;
  • Aconselhe os moradores a deixarem as janelas abertas;
  • A circulação na garagem deve ser apenas em casos de extrema necessidade;
  • Estabeleça um fluxo racional para entregas em domicílio, a fim de evitar ao máximo o contato corporal.

Como agir se algum dos condôminos apresentar os sintomas ou contrair a doença?

O ideal a se fazer é avisar aos demais condôminos que há suspeita ou casos confirmados no condomínio, mas não revelar a identidade do morador, e pedir para que os demais moradores redobrem os cuidados e fiquem o máximo possível em quarentena voluntária.

Quais outras medidas eu devo tomar?

Tão importante quanto conversar com os seus condomínios, você deve os aconselhar para que busquem informações em locais confiáveis, como os listados por nós abaixo:

Acompanhe a situação no Brasil

Guia de prevenção sobre o coronavírus

Guia do isolamento domiciliar: como preparar sua casa para conviver com suspeitos de infecção por coronavírus

Aplicativo feito pelo Ministério da Saúde

ID - Banner - Blog
0 ComentáriosFechar comentários

Deixe um comentário

Cadastre-se na nossa Newsletter

Seja o primeiro a receber os nossos posts no seu e-mail

Prometemos não enviar spam :)